terça-feira, 21 de abril de 2009

Por que não ser republicano e ser monarquista?

Por que não ser republicano e ser monarquista?

Por Bruno Cezar P. Soares

Nós os monarquistas Brasileiros do século XXI, nos deparamos constantemente com dificuldades quando tentamos defender as nossas idéias. Somos motivo de chacota, piadas e outras coisas do gênero, constantemente somos chamados de loucos e de saudosistas.
Como os monarquistas podem ser considerados saudosistas se não nascemos e nem vivemos na época do Império? Como ser considerado saudosista se não descendemos de famílias nobres ou da própria família imperial? Como se não somos senhores feudais a procura de vassalos e vice-versa?

Nós monarquistas modernos, não somos "anti-republicanos" só por existir a forma republicana de governo, não temos ódio por este regime, não somos apegados a tal regime ao ponto de desconsiderar outras possibilidades. Essas características muito presentes nos pouquíssimos "republicanos-militantes". É o saudosismo de que tanto nos acusam.

Os monarquistas Brasileiros entendem que, cada povo tem o seu sistema de governo e que por mais que se tente copiar um sistema que deu certo em outro país, 1° se esse sistema não estiver naturalmente na essência de seu povo e 2° se ele não for adequadamente adaptado as necessidades de seu país. Ele nunca funcionará adequadamente, assim como a república presidencialista brasileira.

A "nossa" república não funciona, pois não é nossa, nós simplesmente copiamos um sistema que outros criaram para atender exclusivamente as suas necessidades. Nosso país tem uma história de tradição monarquista de aproximadamente 400 anos, contra a "inquestionável" república de pouco mais de 100 anos. E mesmo assim a monarquia aparece ainda hoje crescendo, conclamando pessoas de todas as classes, gostos, lugares e de outros meios, pois o nosso maior ideal é ver o Brasil como país de "1º mundo" novamente é ver os nossos intelectuais serem valorizados e reconhecidos aqui e não no exterior.

Ser monarquista é valorizar o passado, preservar o presente e construir o futuro!

"Pelo Brasil e com o Imperador!"

Bruno Cezar P. Soares
Brasília-21/04/2009

12 comentários:

  1. É isso aí Bruno!
    A monarquia é a solução!
    Tendo o imperador como símbolo vivo da nação poderíamos despertar o nunca acordou no povo brasileiro: o nacionalismo.
    apesar de ter seus problemas, a monarquia supera em muito em relação a funcionalidade republicana. Com o poder Moderador podemos TUDO!
    hehehe
    um abraço fratenal

    Soares

    ResponderExcluir
  2. Entendo que os neo-monarquistas não sintam ódio pela forma de governo república e sintam um apreço maior pela monarquia, mas como em teoria tal método iria funcionar aqui em nosso país?

    De fato, ainda sou leigo no assunto, mas talvez por essa falta de informação e curiosidade me facão questionar neste ponto. Como você já sabe, a monarquia é uma forma de governo em que um indivíduo governa como chefe de Estado, geralmente de maneira vitalícia ou até sua abdicação enquanto na república é uma forma de governo na qual um representante é escolhido pelo povo para ser o chefe de país, podendo ou não acumular com o poder executivo. Entretanto se retornarmos ao sistema monárquico a corrupção teoricamente não iria diminuir, pois tratamos de seres humanos ainda, e do contrário ela iria somente acontecer de uma forma mais rápida, pois tal quantidade de poder na mão de uma única pessoa tende por natureza à corrupção, não que não haja corrupção no sistema republicano, mas ao menos ainda temos uma “chance” de elegê-los e o poder ainda é distribuído nos três pilares.

    ResponderExcluir
  3. Nunca foi dito que o sistema proposto acabaria com a corrupção. Pois para se fazer isso você teria que ser Deus para saber todos os detalhes da vida de cada parlamentar, para evitar que estes cheguem ao poder.

    Esse sistema seria uma medida ou instrumento constitucional que permitiria nos casos de ingovernabilidade e ou em crises institucionais (corrupção como no mensalão, onde além da corrupção, nossos políticos que deveriam ser exemplos morais para a nação, se tornam meros negociadores baratos, gerando uma crise moral também).
    Acabar com o governo e se convocar novas eleições imediatamente para se formar um novo governo.

    Outras citações necessárias para responder a sua pergunta serão publicadas posteriormente.

    ResponderExcluir
  4. Creio que a monarquia - de certa forma poderia ser muito útil e aplicável - além disso poderia ser muito convêniente, pois a moral implantada com a burguesia não se importa com o coletivo, priorizando somente o individual - o que alimenta a corrupção de nossos dias, mesmo países considerados ricos, também sofrem do problema da corrupção, que a meu modo de ver é um problema moral.
    Uma concepção de vida mais aristocrática,
    poderia inspirar a ordem que a República do cada um por si, não conseguiu implantar. Na República não existem responsáveis, pois a culpa recaí sempre na população - o que de certa maneira seria evitado com a figura de um Rei.
    Creio que a monaquia deveria ser repensada, pois a solução inglesa de um monarca fantoche não serve de nada, ao mesmo tempo implantarmos o absolutismo é inviável devido às mudanças no modo de produção.
    Talvez a figura de um Rei - que vigiasse pela moral das instituições públicas - servisse para moralização de nossas instituições - porém sem o poder MODERADOR que comprometia o próprio Imperador

    Viva ao Rei
    Vida longa ao Imperador

    ResponderExcluir
  5. Esqueci de enviar meu e-mail para contato

    vectrasnk@terra.com.br

    Vida longa ao Rei

    ResponderExcluir
  6. A República é intolerante vejam o exemplo da REVOLUÇÃO FRANCESA, quem não concordasse com a revolução era encaminhado para "La Guilottine", lembremos do Jacobinismo - período do Terror, na qual inúmeros inocentes foram mortos - no período do Rei Luis XVI - inúmeras obras literarias opostas ao rei eram editadas a censura real era tênue e pontual, já os revolucionários republicanos permitiam que você falasse idéias divergentes porém você era morto se as pronunciasse.
    Lembremos que os crimes contra a ordem democrática, ou seja a imobilidade de se mudar as instituições - surgiu após a luzes - que a meu ver gerou uma imobilidade egipcia - na qual temos a liberdade dentro dos ingessados valores socias - lembremos que os Iluministas surgiram durante o período Imperial.

    Vida longa ao Rei

    vectrasnk@terra.com.br

    ResponderExcluir
  7. E senso comum que, há corrupção na república,porem, não seria muito mais cômodo criar um sistema de governo democrático que funcionasse? ao invés de dar poder a uma família, e se de algum modo fosse implantada a monarquia, porque não escolher um rei por meio de um processo seletivo por exemplo. ou acreditam em sangue azul,direito divino,ou faraó se realmente quisessem fazer alguma coisa por seu paiz, apoiar a volta da monarquia ficaria distante das alternativas propostas.

    ResponderExcluir
  8. Anônimo: Se observar índices como o IDH e o índice de democracia dos países verá que os mais democráticos e desenvolvidos são justamente monarquias constitucionais, não é muito difícil averiguar que países como Holanda, Canadá, Reino Unido, Suécia, Noruega, Dinamarca e etc, todos monarquias constitucionais, são bem mais democráticos do que o nosso e a maioria das repúblicas, e mesmo assim, das poucas repúblicas de destaque nesses índices a maioria é parlamentarista, creio que isso já seja o bastante para dismistificar que a monarquia seja anti-democrática ou ineficiente.

    ResponderExcluir
  9. Continuando, tu diz "...ao invés de dar poder a uma família..." Se observarmos bem como funciona uma monarquia parlamentar constitucional, verás que ela, principalmente se comparada a uma república presidencialista, desconcentra o poder, comparando com o caso brasileiro... o cardo de presidente acumula funções de Chefe-de-Estado e de Chefe-de-Governo, com a monarquia tira-se do presidente as funções inerentes à chefia de estado, trato detalhadamente desse tema em outros textos no blogue sugiro que tu os leia se possível...

    ResponderExcluir
  10. continuando:"se de algum modo fosse implantada a monarquia, porque não escolher um rei por meio de um processo seletivo por exemplo.ou acreditam em sangue azul,direito divino,ou faraó se realmente quisessem fazer alguma coisa por seu paiz, apoiar a volta da monarquia ficaria distante das alternativas propostas. " No caso do Brasil seria escolhido um Imperador. Como a proclamação da república foi um golpe de estado, sem apoio popular, por sí só torna-se ilegal, por isso mesmo os monarquistas falam em RESTAURAÇÃO DA MONARQUIA, porque simplesmente apoiamos o retorno de um sistema que vigorava com eficácia e que foi destituído ilegalmente. Dá escolha do monarca, como foi dito, o golpe republicano interrompeu, ilegalmente, a ordem jurídica existente, restaurando-se essa ordem assumiria o trono os descendentes de Dom Pedro II e da Princesa Isabel, como a Família Imperial está dividida em 3 ramos, Vassouras, detentores legítimos ao Trono caso não houvesse ocorrido o golpe, Petrópolis e Saxe-Coburgo-Bragança. Muitos monarquistas apoiam que quando houver a restauração ou o congresso ou o povo eleja quam ramo dinástico constituirá a Família Imperial.

    ResponderExcluir
  11. Não acreditamos em direito divino dos reis nem nada, somente através dos nossos estudos de história, ciência política e demais temas afins, chegamos a conclusão de que a monarquia parlamentar constitucional é mais eficiente do que os outros sistemas vigentes. Obrigado por comentar!

    ResponderExcluir

Obrigado por comentar, lembramos que postagens que contenham ofensas, palavrões, ou qualquer forma de desrespeito e discriminação serão imediatamente apagados e não terão resposta, ajude a manter um nível elevado nos debates, desde já grato!